D. Francisco Senra Coelho confirma: "a nossa amada Cartuxa Scala Coeli vai encerrar"


A notícia desoladora correu como boato, durante meses. O arcebispo de Évora confirma hoje que a Cartuxa Scala Coeli vai mesmo encerrar. Mais um fruto da revolução conciliar.

São Bruno, rogai por nós!

***

Declaração de D. Francisco Senra Coelho:


Encerramento da Cartuxa de Évora: "Neste momento a Arquidiocese de Évora comunga com os Cartuxos a dor da sua partida"

Numa mensagem áudio registada nesta manhã de 26 de Julho, o Arcebispo de Évora, D. Francisco José Senra Coelho, dirige-se à Comunidade Arquidiocesana de Évora "para confirmar a notícia que a nossa amada Cartuxa Scala Coeli vai encerrar".

"De facto, chegou à Arquidiocese a comunicação vinda do Capítulo Geral da Ordem Cartusiana de que não é possível continuar a manter em Évora a presença dos Cartuxos, dando vida a este monumento de vida contemplativa", prossegue o Prelado, acrescentando que "recebemos a mensagem com um sentido de comunhão profunda com a Ordem Cartusiana, agradecendo a Deus o dom das cerca de seis décadas que os monges permaneceram em Évora, na sua segunda fase após a expulsão de 1834".

"Queremos agradecer a Deus o grande testemunho, a eloquência da sua presença no meio de nós, num silêncio que falou e profeticamente nos comunicou o primado de Deus, o Amor que deve ser Amado, o anúncio da valorização da espiritualidade no contexto da sociedade em que nos é dado viver. Queremos dar graças ao Senhor pelo carisma de São Bruno presente em Évora, (...) através dos cartuxos que marcaram a nossa cidade espiritualmente e culturalmente", aponta o Arcebispo de Évora
"Neste momento a Arquidiocese de Évora comunga com os cartuxos a dor da sua partida. Sabemos que eles amam a sua cidade de Évora e sabemos que a sua partida envolve sofrimento", sublinha D. Francisco José Senra Coelho, acrescentando que "para nós é uma dimensão de leitura dos tempos, (...) de nos sentarmos na escuta do Espírito de Deus que nos fala à igreja de Évora e às Igrejas de Portugal. Que valor damos ao silêncio nas nossas vidas, nas nossas comunidades cristãs. Que valorização fazemos da contemplação? Qual o lugar da oração na vida das comunidades?"

"A vida contemplativa masculina fica muito reduzida em Portugal", sublinha o Prelado eborense, afiançando que "esta partida é um desafio para nós".

"Neste momento de gratidão aos Cartuxos e de oração profunda deste sinal dos tempos, quero pedir à Arquidiocese de Évora a oração para que encontremos com a brevidade possível uma outra comunidades monástica, contemplativa, masculina ou feminina, para que a Cartuxa, aquele lugar santo, tenha vida e seja para nós uma presença de acompanhamento na oração à nossa cidade e à nossa comunidade diocesana", pede o Arcebispo de Évora, que garante que "como pastor estou a enveredar todos os esforços para encontrar essa comunidade e para fazer com que a nossa Cartuxa seja viva, habitada, e o seu silêncio seja sempre fecundo e uma presença de Deus no nosso meio, pela presença de uma Comunidade".

"Oportunamente anunciarei a celebração de uma Eucaristia de Acção de Graças e de despedida dos nossos Monges Cartuxos e farei também conhecer o programa da sua partida, e querendo Deus estaremos juntos para agradecer ao Senhor os anos da sua presença", revela D. Francisco José Senra Coelho.

"A intercessão de Maria, Scala Coeli (Escada para o Céu), é neste momento confortante como Mãe e Padroeira da Arquidiocese", conclui o Arcebispo de Évora a sua mensagem à Arquidiocese.
No próximo dia 6 de Outubro de 2019, a memória litúrgica de São Bruno, querendo Deus, será celebrada, sob a presidência do Arcebispo de Évora, na igreja de São Francisco, em Évora, com a Ordenação Presbiteral do diácono Paulo Fonseca, antigo membro da Cartuxa de Évora, onde viveu 5 anos, e que completou a sua formação no Seminário Maior de Évora, no Instituto Superior de Teologia de Évora e na Universidade Católica Portuguesa, onde concluiu o Mestrado Integrado em Teologia.

(fonte)